NINTENDORETROGAMESREVIEW

Nintendo Classic Edition – Review

A nostalgia é algo realmente interessante quando mexe com nossas emoções guardadas há algum tempo, seja uma música, filmes ou até um game. Contudo, depois de algum tempo quando tentamos reviver isso tudo, podemos nos surpreender.

Posso dizer que depois do computador MSX o Nintendo foi meu primeiro real contato com o mundo dos consoles. Com uma pequena mas interessante experiência com um clone do NES, a Nintendo certamente marcou o meu início dessa deliciosa paixão exatamente como outras milhares de crianças.

Especificamente com os jogos, me lembro em detalhes do castelo de Castlevania, os corredores e armas de Metal Gears ou até mesmo o incrível cenário de Super Mario, contudo esses jogos eram todos em 2D com gráficos bem simples. Toda magia era construída em conjunto com nossa imaginação. Talvez por isso alguns gamers podem ter sentimentos diferentes com o “novo lançamento” da Nintendo.

O Console que viajou no tempo

O Nintendo Entertainment System (ou NES) foi originalmente um sistema lançado em 1983, e agora a Nintendo traz de volta uma mini réplica do console com 30 de seus melhores jogos, o Nintendo Classic Mini.

Ao abrir a embalagem desse pequeno console pensei se realmente aquela caixinha iria trazer de volta aquelas emoções.  Se você já viu o NES original, basicamente já viu o NES Classic Edition. Esse mini console é praticamente uma réplica do console original lançado na década de 80, numa escala muito menor e fiel ao dispositivo que o inspirou, pelo menos esteticamente.

Um ótimo controle mas com cabo curto.

Para se adequar aos tempos de hoje (olha isso TecToy), dois pequenos detalhes que muitos consideram fundamentais, estão presentes. São eles: uma porta micro-USB para alimentação e a saída HDMI para conexão na TV.

Sobre o controle temos a disposição o original do NES porém, tem aproximadamente 75 cm de comprimento de cabo o que se torna problemático na instação. Essa limitação do cabo pode atrapalhar nas conexões mas os conectores permitem usar um controle do Wii : o Wii Remote ou o Classic.

Infelizmente, não tem a opção de colocar o cartucho original e os detalhes visuais  são apenas réplicas.  Apresentado o equipamento, basta conectar o cabo numa porta USB para energia (ou o adaptador que vem  na caixa de 5V/1ª) e o cabo HDMI na TV para começar a diversão (no meu caso consegui ligar ambos sem problemas na mesma TV).

Conexões para facilitar a vida dos gamers!

Os escolhidos 

Ao ligar o equipamento,  posso dizer com propriedade que a primeira impressão foi muito bacana, principalmente rever meus velhos e queridos jogos o som bacana que toca no Menu.  Nesse momento, muitos podem torcer o nariz e dizer que trata-se de total perda de tempo voltar aos games da década de 80 com gráficos ruins e etc.

O verdadeiro espírito gamer não depende dos gráficos mas sim da diversão e aqui temos uma grata surpresa. A seleção de jogos foi bem feita e mostra o quanto são bons esses antigos títulos. É claro que não são nem de perto como os primeiros jogos com gráficos 3D, quando os desenvolvedores ainda estavam aprendendo a fazer uso da terceira dimensão (Playstation 1).

Os jogos disponíveis são do mais puro 2D que vieram de uma época onde a Nintendo sabia o que estava fazendo.  Embora tudo isso não vai trazer uma experiência nostálgica completa, seja pelo contexto da época que envolvia a surpresa e até mesmo os amigos na sala (e não multiplayer via internet) o pequeno Nintendo Classic consegue cumprir com quase tudo que promete.

Lista dos Jogos

Galeria de 30 Jogos
Balloon Fight Bubble Bobble Castlevania Castlevania II
Donkey Kong Donkey Kong Jr.
Double Dragon II Dr. Mario Excitebike Final Fantasy Super Mario Bros. Ghosts and Goblins
Gradius Ice Climber Kid Icarus Kirby’s Adventure Mario Bros. Mega Man 2
Metroid Ninja Gaiden Pac-Man Punch-Out!!  StarTropics Super C
Galaga Super Mario Bros. 2 Super Mario Bros. 3 Techmo Bowl The Legend of Zelda Zelda II

Fácil para ligar e jogar

De maneira muito rápida (mais ou menos 4 segundos após ligar o console) um menu muito fácil de acessar, aparece na tela com uma lista de 30 grandes títulos Jogos como Zelda II, Punchout, Gradius e Super Mario III. Nesse ponto vem algo que a Nintendo poderia ter feito melhor. Porque só 30? Obviamente alguns hackers já conseguiram romper a segurança do dispositivo e conseguiram por praticamente toda biblioteca disponível no ocidente dentro da memória do Mini Nes.


Sem muitas opções de jogos (apesar de poder organizar de diversas maneira) basta mover o menu para direita ou esquerda e facilmente vai encontrar um game para começar a diversão. Para os jogadores mais exigentes existe a possibilidade de escolher o tipo e formato de tela que incluem três modos de visualização diferentes.

O CRT Filter que simula as linhas e a sensação de uma TV antiga; o modo 4:3 é a mesma proporção da época e o modo Pixel Perfect reproduz o que os designers dos jogos viam originalmente ao programá-los. A escolha do melhor modo vai variar para cada jogador. Enfim, diversão garantida.

Joguei e gostei mas…

Uma coisa fica bem clara depois de jogar ou testar todos os jogos do NES Classic. Esse equipamento foi feito para quem é fã e adora a Nintendo. Lembra quando comecei esse texto e falei que a experiência poderia surpreender?

Alguns jogos que temos em nossas lembranças quando revisto agora pode perder um pouco o encanto embora ainda seja aquele jogo incrível. Há quem diga que seja melhor deixar lá atrás ou não. Eu curti jogar novamente vários deles mas posso dizer que 30 foi pouco e a Nintendo deixou um gostinho de quero  mais com certeza.

Claro que atualmente com o nível e a velocidade das informações alguém acabou destravando o pequeno console e já se fala na possibilidade de por até 700 jogos na memória interna. Essa história vou pesquisar e volto com uma matéria sobre o assunto, porque 30 foi muito pouco. Um excelente aparelho para coleção feito especificamente para os amantes da Big “N”.


[review]

Conclusão

O Nintendo Classic Edition é um console que veio como um presente para os gamers da velha geração, apaixonados pela Nintendo e uma excelente oportunidade de trazer grandes (e antigos) jogos para geração atual. Nostálgico com seu design, se adaptou à conveniência moderna com relação a imagem, energia e conexão com nossas TVs atuais .

Contudo, apesar do resultado final ser extremamente satisfatório, dois detalhes precisam ser lembrados. O primeiro é o cabo do controle que poderia ser maior, mas facilmente sanado se conectarmos um controle do Wii ou um cabo extensor.

O segundo ponto, fica por conta da quantidade de jogos. Os 30 jogos são poucos e precisaria de mais com certeza. Esse problema por sua vez,  foi resolvido de forma “ilegal” com alguns hackers desenvolvendo uma ferramenta capaz de alimentar o pequeno NES com muito mais jogos.

Recomendado para aqueles que curtiam o NES, traz jogos (apesar de poucos) considerados clássicos e vale a pena experimentar. Ao preço que foi vendido originalmente (USD 59,00) tudo bem, mas pagar a valor que está sendo praticado por aqui precisa ser bem analisado antes de gastar suas moedas de ouro.

Tags

Claudio Santos

Designer gráfico, gamer, retrogamer e formado em TI. Editor e criador das revistas "UltraJovem, GameOver, entre outras. Fã de bons games, anime, quadrinhos, filmes e séries. Detonando atualmente Xenoblade 2 e GranTurismo Sport.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Close